terça-feira, 16 de agosto de 2011

Ventos do coração

Uivam os ventos
No meu pensamento
Assoprando fantasmas
Balançado o passado
Revirando as memórias.

Uivam os ventos
Com forca descomunal
Fazendo vendaval
Afastando-se do mal
Soprando para o além.

Uivam os ventos
Que já foram calmarias
Que eram as brisas do dia
Que refrescavam o meu rosto
Que impulsionavam minha nau.

Uivam os ventos
Da grande tempestade
Do coração em tormentos
Do amor esquecido
Das saudades e do tempo.

Uivam os ventos
Da alma solitária
Do furacão que se aproxima
Da criança crescida
Do homem de agora.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

Um comentário:

  1. Meu coração é um furacão de paixão. Valeu poeta abraços do fundo do...

    ResponderExcluir