sexta-feira, 2 de março de 2012

A jornada


Um passo de cada vez
Sem muita pressa
Sem destino
Como uma brisa.

Não chamo meus textos
De poesia
São apenas sussurros
E murmúrios da vida

Não me considero um poeta
Sei da minha frágil estrutura
Sou apenas um aventureiro
Neste espaço cibernético.

Sei que cheguei até aqui
Graça aos amigos que conquistei
Aonde irei não tenho idéias
Mas fui lançado no vento.

Um dia tudo se acabará
Mas meus versos ficaram em cristais
De silício ou em uma nuvem
Para onde vai à alma de toda poesia.

Autor> Gilberto Fernandes Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário