segunda-feira, 4 de junho de 2012

Lua pálida



Existe uma lua nua e pálida
Brilhando na noite
Noite de sonhos “calientes”
E adormecidos...

Ela se deita na abóbada do céu
Seu corpo se pende no vácuo
Sua pele é branca e suave
Seus cabelos ondulados e negros.

Existe um contorno nu na lua
Suas curvas lembram Afrodite
Seu brilho é um convite ao amor
Ao pecado dos deuses.

As estrelas são testemunhas
Existe uma silhueta na lua
Ela me chama a um encontro
Acho que vou num foguete...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

6 comentários:

  1. Bom dia meu amigo!
    Um poema caliente. Sonhos românticos recheados de muito amor. Parabéns! Seu poetizar exala romance e amor. Lindoooo!
    Beijokinhas lindas. Tenha um dia recheado dos nobres sentimentos.
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amiga! Ando meio sumido mas vou passar por ai no seu adorável blog.

      Excluir
  2. Quando calienta el sol...
    Como me lembro desta música.
    C umps

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Cumps, sua passagem é sempre um motivo de alegria e agora deixou "el sol" mais brilhante.

      Excluir
  3. O apelo da lua é um chamamento a que poucos resitem.
    Abraço do Zé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De facto Zé este apelo me foi irresistível...

      Excluir