domingo, 9 de setembro de 2012

Circo de pulgas

A lente da vida...
A esperar pelo espetáculo das pulgas
São pulos sobre o nada
A criarem uma utopia ativa.
O circo imaginário
O palhaço sorridente
A bailarina inocente
Um sonho digital.
Domestificação de insetos
O sangue sendo sugado
O picadeiro e a lona
Tudo por trás das cortinas.
O bebado e o equilibrista
Ilusões de ótica
Serrado  ao meio
O mágico e o malabarista.
Acenderam os holofotes
Procuraram por um  corpo
Recebeu aplausos e risos
Mas não fez sucesso nenhum.
  
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

4 comentários:

  1. Há por aí muito malabarista que apenas se contorce a troco do vil metal, por mais vil e torpe que seja o espectáculo.
    Abraço do Zé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim amigo! Hoje pelo vil metal se faz de tudo mesmo...

      Excluir
  2. Olá querido amigo... Tudo bem?
    Que delicia de espetáculo, fizeste sucesso por aqui.
    Eu simplesmente adoro circos.
    Beijinhos e uma semana bem feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amiga! Embora este tipo de circo esteja em extinção, ainda assim vale a pena saber que alguns se esforçam em preservá-lo.

      Excluir