terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Fantoche


A poesia é uma mulher
A poesia é uma deusa
A poesia é uma musa
A poesia são seus olhos.

A poesia é um imã
Que atrai os opostos
Tem um sorriso de anjo
É o fogo do inferno.

A poesia relaxa...
Faz você sonhar e imaginar coisas
Faz você viajar nas asas do vento
A poesia mora em meus pensamentos.

A poesia é seu sorriso
É o menino doente
É a rua dos bobos com sua casa engraçada
É uma pequena bailarina.

A poesia tem instantes eternos
É louca e desvairada
É uma das pessoas do Pessoa
E até lhe faz ouvir estrelas.

A poesia não ama ninguém
É um fanatismo em gotas
É o coveiro e o seu cigarro
E a sua consciência morcego.

Já o poeta meu amigo
E apenas o seu fantoche...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

A beleza



Liberte suas pétalas
Rumo a céu...
Deixe exalar o seu perfume
Atraia beija-flores gigantes.

A vida pode florescer em lugares carentes
A seca pode ser apenas um pretexto
As chuvas ainda podem ser anunciadas
“Pois a beleza está nos olhos de quem ver."

Liberte seus sonhos
Jogue fora seus grãos de pólens
Faça sua reprodução cruzada
Lance para longe o seu amor.

Autor> Gilberto Fernandes Teixeira

Geografia do coração



Abram os seus mapas
Vamos viajar...
Descer o rio do amor
Subir as montanhas do mar.

Alinhem os seus GPS
Na geografia do coração
Vamos catalogar
O nosso Planeta paixão.

E enquanto seguimos
Novos caminhos irão surgir
Lembrando que os caminhos
"Fazem-se no caminhar".

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 29 de janeiro de 2012

Os extremos



Os extremos me fascinam
Areia e flores
Camelos e miragens
Água e sequidão.

Como podem sobreviver
E ainda serem tão belas?
São mistérios naturais
São belezas sem iguais.

Todo dia eu rondo a NET
A procura da vida
De um olhar para o além
Além mar, além do céu.

E quando vejo uma pérola
Fico todo emocionado
Por encontrar algo extraordinário
Onde posso esconder minha a poesia.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

O dia D.


É preciso lutar
Ir além das fronteiras
Onde a paz nós espera
De braços abertos.

Quantas vidas são ceifadas
Pelos sonhos das conquistas
Mas assim nascem os heróis
E renascem as esperanças.

Na guerra homens são lobos
Formamos matilhas...
Há dores de ambos os lados
E as derrotas são maiores que as vitórias.

Mas teremos que enfrentar nosso dia D
D de fraqueza
D perder
D morrer.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 28 de janeiro de 2012

Patético



Neste mundo o esforço
Não é para os franzinos
É coisa de gigante
É para os elefantes.

Governar é complicado
Mas pior ainda é ser governado
Dá opiniões é muito fácil
O mais difícil é recebê-las.

E quanto a ser inteligente
Pode ser bem mais complicado
Pois uma gota de sabedoria
Pesa mais do que uma tonelada de ignorâncias..

O Bom da vida é ser patético
Ser poético
E não tentar
Levantar o peso dos outros...

Auto: Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Surreal

Lancei esferas metálicas
E alinhei dois mundos fantásticos
Lua dentro de luas
Sol dentro de sois.

No mais sublime caos
Apenas espelhos e arestas
Sem hipérboles
E sem compasso.

Eqüidistantes dos olhos
Globos oculares
Espelhos e imagens
Brilhando no infinito.

Lancei esferas ao vento
E elas caíram em meu pensamento
No espaço surreal
E no quintal do esquecimento.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

Detalhes do rei



"Se um outro cabeludo aparecer...
Imediatamente você vai lembrar de mim
São detalhes tão pequenos de nós dois"
Que por favor, esqueça...

"Esqueça que você chorou...
Carinha de tristeza não lhe fica bem
Pois parei frente ao portão
E o seu cachorro me sorriu latindo".

Porque você é a minha amada amante
E quero ficar por mais alguns instantes
"Debaixo dos caracóis dos seus cabelos"
Ouvindo Lady Laura.

“Você é o maior dos meus sonhos’.
É a mais linda história que eu posso cantar
Só assim, sinto você bem perto de mim.
Outra vez “...

“Não adianta nem tentar...
Me esquecer..
 Por muito tempo em sua vida”.
Serei os detalhes do rei.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

D + eficientes

Não é porque falta uma peça
Que se deixa de trabalhar
Não porque falta um lápis
Que se deixa de estudar
Não é porque que falta uma mão
Que se deixa de ajudar
Não é porque falta um pé 
Que se deixa de andar
Não é porque falta um olho
Que se deixa de enxergar
Não é porque falta um ouvido
Que se deixa de ouvir
Não é porque só falta
Que se deixa de sobrar
No mundo todos somos D + eficientes
Não é porque faltam eficientes 
É porque juntos nos completamos...

Autor:  Gilberto Fernandes Teixeira

O abraço


 
Hoje! Me deu aquela vontade louca
De te abraçar
Te por bem perto do peito
No quentinho dos meus braços.

Deixar você ali por alguns segundos
Escutando meu coração pulsar
Até você compreender
A minha solidão.

Hoje! Eu acordei carente de amor
Procurei-te por todos os lugares
Imagináveis e inimagináveis
Mas você veio...

Então, agora aguentaaaaaa...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Ela

 
Apenas com uma rosa
Ela me apareceu
Sujou de batom
Meu papel.

Piscou os olhos
Enfeitiçou meu coração
Não disse nada
Nem precisava.

Modelo de mulher
Perfil do amor
Sedutora
Fascínio feminino.

“Silhueta da paixão.”

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Inspirações

Poucas palavras...
Muitas cores
Uma borboleta
E pronto, salvei o meu dia.

Queira sorrir
Estava triste
Queria gritar
Faltavam palavras.

Então descobrir estas flores
E esta borboleta
Foi o bastante
O que realmente faltava.

Amanhã pode tudo novamente acontecer
Até meu dia entristecer
Mas irei atrás das flores
E com elas trarei as borboletas.

“Hoje! Descobrir que as inspirações voam."

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Solitário coração de pedra.


Não!
Não quero mais diamantes
Solitários...
Nem quero diamantes de sangue.

Fogo no ar
Brilho intenso
Eterna paixão
Quero apenas cristais.

Quero trincá-los
Quebrá-los
E espatifá-los
Como vidros...

Não quero mais um coração de pedra
Ao meu lado...
Eu quero apenas um frágil coração
Um coração de amante...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

O farol



Longe...
Em uma ilha
Em um recife
Um farol.

Eu...
Naufrago
Nas paixões
E utopias.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

Sinais de fumaça

Às vezes fechos os olhos
E lacro bem os ouvidos
Para não ver nem ouvir
As mazelas do mundo.

Sou um covarde!
Ou quero me preservar?
Não sinto nelas poesias
Mas observo sinais de fumaça. 

São gritos que ecoam
Que se arrastam pela minha mente
Sou incapaz diante destas situações
Por isso não tomo partido.
  
Prefiro o anonimato...
“Afinal todo poeta é um fingidor”
Pois para ele não há dor
“Nem a que deveras sente.”


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 21 de janeiro de 2012

Consciência morcego



Esta é a consciência
Morcego...
Que vaga na noite
Entre os sutis vaga-lumes.

Não tem medo do escuro
A luz da lua é sua companhia
Sonhos e pensamentos
Asas ao vento...

Desliza na brisa
Cai como o orvalho
E de manhãzinha descansa
De cabeça para baixo...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

Lagrimas



Nem todo o azul do céu
Tão pouco o azul do mar
Poderá conter uma gota
Do azul do teu olhar.

Se sua lagrima cair
Ou se sua lagrima rolar
Vai colorir toda Terra
Vai ofuscar todo ar.

E este tão grande azul
Tão maior que o infinito
Tão belo e tão bonito
São apenas lagrimas em flor.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

Palpites


Cada dia que passa
Desaprendo um pouco mais
Devo ter uma cabeça privilegiada
“Cabeça de jegue”

Olha que leio bastantes livros
Acabei os “Miseráveis”
Já li também o “Sagarana”
Mas agora estou lendo mesmo é só revista sacana.

Tenho aqui um dicionário
Escrito pelo meu pai
Mas recorro muito pouco
Por que sei falar uai.

Já cantaram por ai
Que sou seu parente e até o seu irmão
Mas aqui no povoado
Ser jegue não é mole não.

Resolvi “fazer direito”
Para cobrar os meus salários
Devagar irei tornar-me um cara intelectual
E vou entrar para a política.

Só para dá os meus palpites...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

15.000 ACESSOS...

Muito obrigado! Aos queridos blogs & amigos...

"Vento no litoral"



Lembra-se “daquele vento no litoral”
Agente aqui a beira mar
Em uma tarde a descansar.
Sonhando, sorrindo e a cantar.

"E o vento vem chegando"...
Trazendo brumas e espumas flutuantes
“E você está aqui”
A me beijar...

Estamos voltando as areias
Nelas temos segredos
Nelas rabiscamos nossos nomes
Nelas prometemos casarmos.

O tempo e os rostos mudaram
“O mar e a sua maresia”
Mas a nossa alegria
Nada poderá apagar...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Taças de cristais


Tragam um bom vinho
Vamos celebrar
Em taças de cristais
A vida...

Quero transparência
Quero aromas
O néctar da videira
O mel das abelhas.

Nesta frágil festa
Todos os desejos
Serão apenas
Lampejos.

Quero sorrisos
Quero gargalhada
Do raiar do dia
Até altas madrugadas.

E se as taças se quebrarem
Ficarão as lembranças
De que brindamos à vida
E também as esperanças.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

"Panelas"


O branco das folhas
O preto das letras
As escórias da vida
A minha metalurgia.

A conformação das almas
O calor dos ossos
A transpiração dos corpos
A canção do meio dia.

Um derretimento
Um sofrimento
Uma agonia
O mineral & minério,

A quente separação
Um brilho metálico
“As panelas cheias”
Cheias de ferro...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Linhas


Estou passeado
Na linha do tempo
Dando asas a imaginação
Soltando pipas.

Nada além...
Momentos que nunca voltaram
Espaços vazios
Costurados a mão.

São linhas coloridas
Subindo e descendo pontes
Construindo o imaginário
Tecendo o horizonte.

Uma “roupa nova”
Cores vindas do coração
“Paralelas infinitas”
Ruas feitas de fitas.

Puxa! Como minhas linhas são tênues...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

"Window"

Abra a sua “janela”
E deixe a luz entrar
Seja um girassol
Acompanhado de margaridas.

“A vida é bela”
Se as flores te sorrirem
Todo seu dia
Terá perfumes.

E ainda que os raios do sol
Escureçam...
Você ainda refletirá sua luz
Siga seu rastro.

Não pague caro
Pela felicidade
Ela pode está dentro
Ou fora de você mesmo.

Abra a sua janela
Se já estiver brilhando
Saia...
Você poderá ser o sol de alguém.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Cratera


Fico imaginando o impacto
O encontro dos mundos
A profundidade da colisão
A metamorfose das rochas.

Nada além de crateras
Sobre a superfície da lua
Momentos de luz e reflexões
Espelhos do passado.

Porquês sem respostas
Indagações e suposições
Do que teria acontecido
Da fatalidade cósmica.

Um encontro ao acaso
O caos das bolas de bilhares
Meteoros e meteoritos
Rabos de cometas.

Nada além do nada...
De onde teria vindo tudo?
Desse Big-Bang imaginário
Ou do toque dos dedos de “DEUS”.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Dinheiro

Dinheiro,
Trabalho,
Dignidade.

Dinheiro,
Sofrimento,
Felicidade.

Dinheiro,
Na cara,
No bolso.

Dinheiro,
Por fora,
Por dentro.
 
 
Dinheiro,
Propina,
Politicalha.

Dinheiro,
Drogas,
Navalhas.

Dinheiro,
Patrão,
Empregado


Dinheiro,
Na mente,
No pensamento.

E o salárioo
OOOOOo!

domingo, 15 de janeiro de 2012

O soldado

Não sou de guerras
Não defendo bandeiras
Nem territórios
Minha cor é branca.

Estou sempre me rendendo
Ao amor
As fantasias
E aos abraços.

Não gosto do cheiro de sangue
Prefiro doá-lo
Não sou de cavar trincheiras
Nem de pegar em armas.

Não sei por que fazemos guerras
Talvez ganâncias
Ignorâncias
E outras ânsias...

Mas sou um soldado
E minha arma á a poesia
Com ela apenas pretendo
Eliminar as tristezas.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira