segunda-feira, 1 de abril de 2013

Amiúdes.

 
Eu contemplo o sol pela janela
Eu tenho repetido palavras
Tenho repetido gestos
Tenho sonhado demais.
 
 Quem pintou estes tijolos cristalinos?
Fechou a porta do meu quarto
Condenou-me as sombras
E levou-me as esperanças..
 
Eu quero fugir e voar
Livrar-me destes devaneios tolos
“Eu quero te jogar  num pano de guardar confetes
Mas é inútil, pois existe um grão-vizir”
 
Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

2 comentários: