sábado, 17 de agosto de 2013

Procuro-te.


Procuro-te entre as vagas
Entre os versos
Entre os muros
Dos meus pensamentos

Procuro-te no amanhecer
No entardecer
Entre o sol e as estrelas
No brilho fixo da lua

Procuro-te nas alturas
Nas profundidades dos mares
Entre os focos dos olhares
Nos átrios dos corações

Procuro-te em mim mesmo
Dentro das minhas entranhas
Mas só lhe encontro além do ar
Da minha respiração...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

2 comentários:

  1. Enquanto existe força para procurar é porque o coração pulsa freneticamente com loucura de amar.
    Belíssimo poema.
    Beijos e carinhos
    Gracita

    ResponderExcluir
  2. Amiga Gracita, minha comentarista número única... Fico muito lisojeado com a sua presença e com os seus comentários sempre.

    ResponderExcluir